domingo, 24 de novembro de 2019

Pedrada Afú - Ocidente - Porto Alegre, RS -16 de janeiro de 2020, 23h

Pedrada Afú - Ocidente




16 de janeiro de 2020, 23h - 17 de janeiro de 2020, 01h
"Ocidente Acústico"  edição 996
Pedrada Afú





QUANDO: 16 de janeiro (quinta) de 2020.

23 horas - a casa abre às 21h30min.




Ingresso Solidário:  R$30,00 (trinta reais).

 (Valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa). Válido para venda antecipada.
 Os alimentos deverão ser entregues no Ocidente, no momento da entrada ao evento.
Inteira: R$ 40,00 (quarenta  reais ).
Meia: R$20,00 (vinte  reais).

 ** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados na Lei Federal 12.933/13.

Ponto de venda:

ONDE:  Ocidente – João Telles esq. Osvaldo Aranha
INFORMAÇÕES:  (51) 3012 2675 –  www.barocidente.com.br  



PEDRADA AFÚ: Lançamento do disco "Pra Que Vencer?"


A Pedrada Afú, banda formada em 2005 por Fabão, Nando Endres, Pedro Porto e Pancho Santos, vai voltar aos palcos em janeiro de 2020 depois de mais de uma década de pausa! O show de lançamento do álbum "Pra Que Vencer?", que já está disponível nas plataformas de streaming, será no clássico Bar Ocidente.


O repertório do show vai contar com músicas do EP “Pedrada Afú”, de 2005, do disco “Pra Que Vencer?” e uma música inédita, que fará parte do novo disco da banda.


Nessa noite, a Pedrada vem com a seguinte formação:

Fabão - Voz

Nando Endres - Guitarra

Pancho Santos - Bateria

Marcelo Granja - Baixo



Evento no Facebook

terça-feira, 24 de setembro de 2019

FABÃO Feat. MARCOS PIANGERS - NÃO ACEITO NÃO

Lá por 2010 Marcos Piangers convida Fabão para participar do seu programa na TVCom junto com Duda Garbi, Capú entre outros personagens. Desta participação do Fabão no programa, nasce uma parceria entre ele e Marcos Piangers pra comporem uma música que ilustrasse um quadro do programa sobre uma banda fictícia que se chamava Estrela Dalva. O single da música NÃO ACEITO NÃO foi gravado com Marcos Piangers cantando junto com Fabão, que ainda produziu a gravação.
NÃO ACEITO NÃO Autores: Marcos Piangers/Fabão Desde o começo daí? Siiim E aí gurizada do rock reggae music? Estrela Dalva e Fabão não aceitam não nunca de ninguém Como Milli Vanilli, bem mais que refrão, é atitude também Não aceito não De jeito nenhum O meu coração Sempre quero mais um Eu faço o meu reggae sempre amarradão Curtindo a vida, essa é a minha missão Eu vivo na paz, aaha Mas minha galera não curte o meu som Um engraçadinho sempre esconde o meu violão Isso não se faz, aaha Vamos ser todos amigos Vamos dar as nossas mãos (Come again, come again, come again, come again) uoô Não aceito não De jeito nenhum O meu coração (hum) Sempre quero mais um (se embora) Vou pra balada e não fico sozinho Minha gatinha tem muito amiguinho (muuuuuu) Isso que é amar, aaha (hum hum) Se eu peço cerveja só tomo um pouquinho Porque meus amigos estão sempre com muita sede (que chave) Mas nunca tem grana para pagar Vamos ser todos amigos (é, eu não aceito não meu bem) Vamos dar as nossas mãos (e o coração vai muito mais além) Se você está comigo (aproveita e vem nessa também, bem bem) Vem cantar essa canção (come again, come again, come again) uoô Não aceito não (não aceito não meu bem) De jeito nenhum (nunca de ninguém) O meu coração Sempre quero mais um Huuum ,é brabo tá fogo encarar a Babilônia Na África ou em Zion só Jah pode nos salvar Com muita água de côco para surfar toda essa onda Cantando e louvando meu lado Roots é tri legal Com a alma em paz, maré de amor, pregando a união Pra todos que cultivam dreadlock e camarão Nessa filosofia surge uma grande questão: entender este mistério da princesa e o violão Pois, pra ir junto com Bob não precisa ir para Jamaica E nem fazer bacura cada vez que vai para estrada O reggae é expressão da professia e o som de Rasta E todas as nossas tribos amam a beira da praia Paraíso tem Floripa, Camboriú e Garopaba Litoral Sul tem prenda linda, rock e cavalgada O luau é um espeto e uma fogueira improvisada Não é bem vegetariano, mas a erva liberada Vem cantar essa canção, uoô Não aceito não (não aceito não, não, não) De jeito nenhum (não aceito não, nunca de ninguém) O meu coração Sempre quero mais um Sacolé, sacolé, sacolé, sacolé, sacolé meu irmão: Não faça nada se não for por paixão Tá ligado, tá ligado, tá ligado, tá ligado, tá ligado brother: Não faça nada se não for por prazer Veja bem, veja bem, veja bem, veja bem, veja bem meu senhor: Não faça nada senão for por amor Ou fique parado, ou faça o que nasceu pra fazer Não aceito não De jeito nenhum O meu coração Sempre quero mais um (2X) Ficha Técnica: Produzido por Fabão - Direção artística: Fabão - Marcos Piangers: voz - Fabão: vozes e guitarra base - Gilberto Ribeiro Júnior: hammond, piano, baixo e guitarra solo - Inácio Bugueño: bateria e coro - Duda Garbi, Capú e amiga do Capú: coro e aplausos - Produção Executiva: Fabão - Direção de Produção: Gilberto Ribeiro Júnior - Todos os instrumentos e vozes gravados no estúdio Mubemol por Gilberto Ribeiro Júnior - Mixagem e masterização no estúdio Mubemol por Gilberto Ribeiro Júnior -

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Mais uma Terça Nice, a festa da música jamaicana do 512! Nessa edição quem sobe no palco é FABÃO apresentando seu novo disco

  • Terça, 4 de julho às 19:00 - 0:00
    4 de julho às 19:00 a 5 de julho às 0:00
  • Espaço Cultural 512
    Rua João Alfredo, 512 - Cidade Baixa, 90050-230 Porto Alegre, Rio Grande do Sul

  • Mais uma Terça Nice, a festa da música jamaicana do 512!
    Nessa edição quem sobe no palco é FABÃO apresentando seu novo disco!

    FABÃO lançou disco novo! O quarto EP da carreira solo tem 4 músicas inéditas e uma versão jamaicana de TEMPO PERDIDO, clássico lançado pela Legião Urbana há 30 anos no disco "Dois" (1986). 

    Performático cantor, o vocalista das bandas Rastamanos e Pedrada Afú é o raggaman que gravou "Toca Uma Reguera Aí" com Armandinho e Banda. FABÃO é também reconhecido compositor: "Tubarãozinho", o mais recente sucesso da banda Ultramen, "A Coisa" gravado em 2016 pela Banda Strike, "Pastilha de Prosa" da Comunidade Nin-Jitsu, além da própria "Toca Uma Regguera Aí" com o Armandinho são algumas de suas autorias.

Fabão FabaoMusic é um dos meu mentores na música. Lembro dele na Matahari, nos anos 90, umas de suas primeiras bandas. Funk da pesada, letras ótimas. Depois na "onda cover" com a Rastamanos, junto com a galera da Comunidade Ninjitsu e Ultramen. Foi a primeira banda de reggae a tocar regularmente no interior do RS e SC. Agenda lotada sempre. Participei de 1999 à 2002, e foi meu "debut" como músico profissional. A Rastamanos "formou" músicos de várias bandas e estilos que atuam até hoje. Lá por 2005 Fabão, Pancho, Nando Endres e Pedro Porto formaram a explosiva Pedrada Afú. Uma banda breve, mas que sacudiu o underground brasileiro. A partir daí Fabão seguiu em carreira solo. Compõe pra várias bandas, como o Single "Tubarãozinho" lançado pela Ultramen; "A Coisa" regravada pela banda Strike de MG; gravou versões reggae da Bidê ou Balde, Nei Lisboa, Legião Urbana e faz participações direto em gravações, DVD's e parcerias musicais. A participação dele no DVD do Armandinho, onde divide a composição e performance do mega Hit "Toca uma regueira aí" o alçou ao reconhecimemto como um dos maiores Raggamans brasileiros. Considero Fabão um dos grandes catalizadores da música no RS, no time dos grandes. Será um grande show, podem apostar. Abs!  "Lucas Sória Ricordi
 "